Banzando III.

Cito:


Os obituários literários podem voltar pras catacumbas. Depois de uma palestra tão demolidora e esclarecedora quanto esta, e ainda mais tendo em vista a realidade vivenciada, só se pode proclamar a crise literatura contemporânea na frente do espelho.





Que fofo.

Comentários

  1. Do palestrante, cito:

    --> Dialética da marginalidade,
    https://www.youtube.com/watch?v=pl812JHpMFU
    (Seu comentário sobre a substituição da dialética da malandragem por uma dialética da marginalidade é espetacular. ISSO sim nos ajuda a pensar o verdadeiro funcionamento da contemporaneidade na literatura sem que caiamos em discussões entendiantes sobre a teleologia das novas mídias: ou seja, aquela chatice do um substitui o outro, um mata o outro e por aí vai. Chega a ser, aliás, risível como o debate só anda a partir de uma vendetta claudicante.)

    --> Comentário sobre o Anatomia da Crítica do Frye,
    https://www.youtube.com/watch?v=wvLnH0kLiEo
    (Frye, outro autor de fundamental importância para que entendamos a contemporaneidade da crítica a partir de uma análise de recorrências históricas.)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cito, como suporte textual,

      --> Jornalismo cultural, série de 03 textos para o Rascunho,
      http://rascunho.gazetadopovo.com.br/jornalismo-cultural-promessas-e-impasses-1/
      http://rascunho.gazetadopovo.com.br/jornalismo-cultural-promessas-e-impasses-2/
      http://rascunho.gazetadopovo.com.br/jornalismo-cultural-promessas-e-impasses-final/
      De onde destaco, da primeira parte, dentre tantas coisas,

      "Eis o gesto que deve ser incorporado como método crítico: manter os olhos bem abertos para a diferença da cena presente, em lugar de investir numa tediosa arqueologia da ausência, sempre lastreada numa projeção anacrônica de um passado que no fundo não se conhece a contento."

      --> Os produtores de texto e a escrita expressa,
      http://rascunho.gazetadopovo.com.br/os-produtores-de-texto-e-a-escrita-expressa-1/
      http://rascunho.gazetadopovo.com.br/os-produtores-de-texto-e-a-escrita-expressa-2/
      http://rascunho.gazetadopovo.com.br/os-produtores-de-texto-e-a-escrita-expressa-final/
      E de onde destaco, do último texto,

      "Eis um involuntário retrato em branco e preto do dilema estrutural que ameaça tornar inócua a bem-vinda voga dos festivais literários. Afinal, não há atalho possível: o ato que define a vitalidade de um sistema literário não é a produção em série de textos, porém a leitura refletida da tradição e dos contemporâneos."

      --> Dialética da marginalidade,
      http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs2902200404.htm

      Excluir

Postar um comentário