1º Desafio Formas Fixas.



(Às vezes até eu me surpreendo com minha capacidade de escolher fotos aleatórias que não possuem relação nenhuma com o tema tratado, mesmo porque este é um desafio de poesia e ao que tudo indica o livro aí, jogado de maneira criminosa no chão, é um romance.)

Todo desafio literário publicado por canais no youtube (ou blogs também, embora estes não me pareçam tão frequentes hoje em dia) nunca contempla a rainha de nossas vidas: Mademoiselle Poesia. No geral sempre fazem a coisa pensando no romance, e o maremoto de seguidores costuma dar um jeito de encaixar é no tal do romance também, mesmo que, sei lá, o desafio envolva o termo "poético" na descrição. Ao invés, portanto, de ficar carpindo o desconcerto do mundo, resolvi criar eu mesmo o 1º Desafio Poético Formas Fixas. As categorias são:

  1. Um livro de poesia parnasiana brasileira.
  2. Um livro de poesia traduzida.
  3. Uma antologia poética que contenha mais de 3 autores.
  4. Uma peça de teatro em versos.
  5. Uma epopeia.
  6. Um livro de poesia publicado por uma editora pequena.
  7. Um livro de poesia contemporânea (2012 pra cá).
  8. Um livro de crítica literária voltado para a análise de um ou mais poetas.
  9. Um CD de poesia declamada e/ou 20 poemas declamados ouvidos separadamente.
  10. Um romance de cordel.
  11. Um livro de poesia experimental.
  12. Um livro de sonetos.

Lembrando que:

  • um livro não pode ser aproveitado por mais de um item. Assim, embora alguns livros do desafio 1 sejam comumente compatíveis com o 12, você não pode matar dois coelhos numa só cajadada. Terá que ler obrigatoriamente dois livros distintos;
  • o desafio 11 pode ser respondido de muitas formas, de modo que um livro pode ter sido experimental na época de seu lançamento mas hoje não necessariamente. No caso de tê-lo sido, especifique as razões;
  • no desafio 9, o livro pode analisar também a obra de romancistas, mas deve, necessariamente, abordar pelo menos um poeta. A leitura de dissertações ou teses acadêmicas tá valendo;
  • no caso do desafio 3, sugiro a leitura de antologias temáticas de períodos históricos brasileiros, por exemplo uma antologia de poesia parnasiana (lembrando que, como antes dito, a eventual leitura de uma antologia dessas não conta para o item 1).

Sei só de uma pessoa que está se esforçando em completar o desafio, e esse alguém é o Raphael Elaphar. Se você, caro leitor, também der uma animada, poste aqui as suas escolhas. Poesia é divertido.Vai por mim. Pode ser que eu resolva premiar aquele que completar o desafio primeiro. Claro que para tanto eu vou exigir que a pessoa fale um pouquinho dos livros que leu. Uma sabatina rápida, nada muito exigente. Garanto que as sabatina do novo ministro do STF será mais rigorosa do que a minha. Não sei direito qual vai ser o prêmio e se é que haverá algum prêmio. A ver, a ver.

Quanto às minhas escolhas, ei-las:

  1. Um livro de poesia parnasiana brasileira → A obra completa da Francisca Júlia, valendo-me daquele heroico pdf que o escamandro disponibilizou;
  2. Um livro de poesia traduzida → Divã ocidental-oriental do Goethe, a sair este ano pela Estação Liberdade;
  3. Uma antologia poética que contenha mais de 3 autores → Que seja em segredo, organizada pela Ana Miranda;
  4. Uma peça de teatro em versos → Dramaturgia elizabetana, com traduções da Heliodora;
  5. Uma epopeia → Farsália, Lucano;
  6. Um livro de poesia publicado por uma editora pequena → Não sei ao certo qual, mas ficarei atento aos lançamentos da Patuá e da Kotter;
  7. Um livro de poesia contemporânea (2012 pra cá) → O livro novo do Carlito Azevedo;
  8. Um livro de crítica literária voltado para a análise de um ou mais poetas → O livro sobre Brecht escrito pelo Benjamin, a sair pela Boitempo;
  9. Um CD de poesia declamada e/ou 20 poemas declamados ouvidos separadamente → Assistirei vídeos da Mel Duarte;
  10. Um romance de cordel → Comprarei alguns da Jarrid Arraes;
  11. Um livro de poesia experimental → Algum do Kenneth Goldsmith. Talvez o Freme, que saiu recentemente pela Plataforma Parêntesis;
  12. Um livro de sonetos → Íntima parábola, do Afonso Félix de Sousa.

Vou tentar ser fiel a minhas escolhas iniciais, mas considerando que por exemplo o Íntima Parábola eu já li, acho que será uma boa trocar algumas peças. (Andei pensando, quanto ao item 12, em ir de Nauro Machado, e acho que vou fazer é isso mesmo.) A Farsália será um caso mais complicado pois, embora faça parte de meus planos pra 2017 começar a aprender latim, as chances de que, mesmo que no final do ano eu esteja apto a pronunciar direitinho in dubio pro reo ou aedes aegypti, ainda assim é bem possível que eu não consiga ler o tal do Lucano, de modo que terei que me refestelar em alguma edição inglesa (Kindle, claro) caso queira ler o poema completo. (Trocando em miúdos, péssima escolha, essa minha: olha o tamanho da complicação...)

Comentários

  1. Qual material você vai usar pra estudar latim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou usar o Reading Latin, que no Brasil foi traduzido pela Odysseus como Aprendendo latim. Me parece ser um dos métodos mais usados nas universidades.

      Excluir

Postar um comentário