Isaac Rosemberg (1890 - 1916).



Isaac Rosemberg, do 12º Batalhão do Regimento de Suffolk, depois transferido para o 11º Batalhão do King's Own Royal Regiment. Foi morto em 1º de Abril de 1918, na França, por um sniper ou num combate corpo-a-corpo (há controvérsias), aos 27 anos. Sua coletânea Poems from the Trenches é o suficiente para colocá-lo ao lado dos grandes nomes do período, como Wilfred Owen ou Siegfried Sassoon, graças ao intenso olhar crítico que lançou sobre a guerra e graças à inventividade com que sua poesia foi escrita. Foi também pintor.

Para quem quiser ler uma tradução de seu poema mais famoso, Break of day in the Trenches, e um comentário sobre a poesia da primeira guerra, recomendo o disponível na Modo de Usar, por Ricardo Domeneck: aqui.


MORTO EM AÇÃO.

Sua "Mocidade" a morrer.
Você, caindo. Você, você.
Estouraram os miolos de um.
Choro o poeta em vala comum.
Penso porém que foi a chance:
Você se descuidou, na França.
Você, tão pobre e extrovertido,
Pequeno pra teu próprio espírito,
Que a Natureza, entendiada,
Viu tua carcaça e mais nada;
E a Natureza, que não assente
Com a luz do sol no poente,
Não te deixou ir ao paraíso:
Ela te levou antes disso.


KILLED IN ACTION.

Your ' Youth ' has fallen from its shelf,
And you have fallen, you yourself.
They knocked a soldier on the head,
I mourn the poet who fell dead.
And yet I think it was by chance,
By oversight you died in France.
You were so poor an outward man,
So small against your spirit's span,
That Nature, being tired awhile,
Saw but your outward human pile;
And Nature, who would never let
A sun with light still in it set,
Before you even reached your sky,
In inadvertence let you die. 

Comentários