U2.



JANELAS NOS CÉUS.

Restrições acabadas
Balas despejadas
Horas abafadas
Vão nos sustentar
Quando não houver nada
A regra desmentida
A pedra movida
O túmulo é um risco
Os débitos removidos

Oh você não vê o que o amor fez?
Oh você não vê o que o amor fez?
Oh você não vê o que o amor fez?
O que fez pra mim?

O amor cria desavenças
Faz amor onde o amor vença
A alma e seu striptease
O ódio que se banalize
O céu sobre nós
Ao alcance do leito
Você me deixou entrar
Em seu peito
E sair
De mim mesmo, mesmo

Oh você não vê o que o amor fez?
Oh você não vê o que o amor fez?
Oh você não vê o que o amor fez?
O que fez pra mim?

Oh, oh, oh, oh
Oh, oh, oh, oh
Por favor não me deixe sair de você

Eu não me envergonho, oh não, não

Oh você não vê o que o amor fez?
Oh não vê?
Oh você não vê o que o amor fez?
O que está fazendo a mim?

Sei que te feri e te fiz chorar
Fiz tudo, exceto nos matar
Mas o amor abriu janelas no céu
E pelo amor eu armo um escarcéu
Pra cada coração partido
Pra cada coração que chora
Mas o amor abriu janelas no céu
E pelo amor eu armo um escarcéu

§



AMOR SIMPLES.

O mar quer beijar a orla
O sol em seu corpo
Toda a beleza que foi embora
Quer nos ver de novo

Não luto mais com você
É por você que luto
O mar joga diamantes brutos
Que o tempo faz enriquecer

Não podemos nos apaixonar
Se não sentirmos um amor simples
E não podemos nos alçar
Se não lidarmos c'um amor simples

Aves de veraneio
Descansam na brisa
O mesmo vento nos vigia
Vamos ser felizes primeiro

Seu coração na minha manga
Como um marcador de magia
Por anos eu cria
Que o mar o apanha

Não podemos nos apaixonar
Se não sentirmos um amor simples
E não podemos nos alçar
Se não lidarmos c'um amor simples

Somos simplesmente fortes
Para um amor tão simples?

Não podemos nos apaixonar
Se não sentirmos um amor simples
E não podemos nos alçar
Se não lidarmos c'um amor simples

Não podemos nos apaixonar
Se não sentirmos um amor simples
E não podemos nos alçar
Se não lidarmos c'um amor simples

§



ORGULHO (EM NOME DO AMOR).

Um que veio em nome do amor
Um que veio e foi
Um que veio, pra justificar
Um que veio pra devastar

Em nome do amor
O que mais em nome do amor
Em nome do amor
O que mais em nome do amor

Um no arame farpado
Um que resiste
Um limpo e desolado
Um homem triste

Em nome do amor
O que mais em nome do amor
Em nome do amor
O que mais em nome do amor

(ninguém como você...)

Manhã cedo, 4 de abril
Tiros no céu de Memphis
Livre, os fuzis o rendem
Mas não o seu orgulho

Em nome do amor
O que mais em nome do amor
Em nome do amor
O que mais em nome do amor
Em nome do amor

§



DOMINGO, DOMINGO SANGRENTO.

Não creio no que leio no jornal
Como fechar os olhos, afinal?

Até quando?
Até quando devemos cantar isto?
Até quando
Até quando?
Esta noite podemos ser um
Hoje

Cacos nos pés das crianças
Carcaças, restos da matança
Mas não atenderei ao clamor da guerra
Ela me aterra, ela me aterra
Ela me aterra!

Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento

E a batalha só começou
Muito acabou
Me diga: quem ganhou?
Nossos corações nas trincheiras
E famílias, famílias, famílias desfeitas

Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento

Até quando?
Até quando devemos cantar isto?
Até quando
Até quando?
Esta noite podemos ser um
Hoje

Hoje
Hoje
Hoje
Hoje

Enxugue o pranto
Enxugue o pranto
Enxugue seus olhos
Sangrando

Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento

É verdades somos imunes
Quando fato é ficção
E TV é realidade
E milhões choram
Comemos enquanto vão embora
A batalha de verdade
Começa agora
Pra reivindicar a vitória
Que Jesus nos trouxe
Num domingo, domingo sangrento

Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento
Domingo, domingo sangrento

§

Comentários