Trecho do "Cândida", de Bernard Shaw.


(Shaw em 1888. Créditos.)


Cândida, esposa do Reverendo James Mavor Morell, conhece o poeta Eugene Marchbanks, que quer tirá-la da vida fútil que ela levava. Em determinada parte da peça, Cândida diz a Eugene que não podem mais se relacionar pois ela era mais velha do que ele. É a parte que traduzo.


CÂNDIDA. Uma última palavra. [Ele para, mas sem se virar pra ela.] Que idade você tem, Eugene?

MARCHBANKS. Tão velho quanto o mundo. Esta manhã eu fiz dezoito.

CÂNDIDA [indo até ele, e parando frente a ele com uma mão carinhosamente em seu ombro]. Dezoito! Eu te peço, por mim: um dia você faz um poeminha sobre estas duas frases que vou te dizer? E você promete que vai repeti-las pra si mesmo sempre que pensar em mim?

MARCHBANKS [sem se mover]. Diga as frases.

CÂNDIDA. Quando eu tiver trinta, ela terá quarenta e cinco. Quando eu tiver sessenta, ela terá setenta e cinco.

MARCHBANKS [virando-se pra ela]. Daqui a cem anos teremos todos a mesma idade.

**

CANDIDA. One last word. (He stops, but without turning to her.) How old are you, Eugene?

MARCHBANKS. As old as the world now. This morning I was eighteen.

CANDIDA (going to him, and standing behind him with one hand caressingly on his shoulder). Eighteen! Will you, for my sake, make a little poem out of the two sentences I am going to say to you? And will you promise to repeat it to yourself whenever you think of me?

MARCHBANKS (without moving). Say the sentences.

CANDIDA. When I am thirty, she will be forty-five. When I am sixty, she will be seventy-five.

MARCHBANKS (turning to her). In a hundred years, we shall be the same age.

Comentários